(51) 3388-4686 | contato@clinicakuyven.com.br

Clínica Kuvyen: Blog - Últimas notícias

Por que Há Queda de Cabelo após Cirurgia Plástica?

Blog da Clínica Kuyven

queda de cabelo

Não raro as pessoas associam a queda de cabelos aos procedimentos cirúrgicos, especialmente em razão da anestesia. Embora não seja o único motivo, ela causa a diminuição da pressão arterial, prejudicando a chegada de sangue ao cabelo. Assim, o fio de cabelo fica sem os nutrientes necessários e acaba por cair por um curto período.

queda de cabelo

São vários os fatores, além do cirúrgico, que podem afetar o ciclo de crescimento do cabelo e causar sua queda temporária ou permanente (alopecia): medicamentos, radioterapia, quimioterapia, exposição a substâncias químicas, fatores nutricionais e hormonais, doenças da tireoide, doença de pele generalizada ou local e stress.

A queda de cabelo acontece porque, ao passar por um procedimento cirúrgico, há o aumento da produção do hormônio chamado cortisol ( hormônio do estresse ) no corpo. Quando em excesso no nosso organismo, o mesmo impede que os nutrientes responsáveis pelo nascimento e crescimento dos fios cheguem até os cabelos, causando a queda.

Nesse sentido, entende-se que todo procedimento invasivo gera o estresse cirúrgico, e não seria diferente quando se trata de uma cirurgia plástica. No entanto, este efeito é momentâneo e pode ser revertido.  

Ciclos de Crescimento dos cabelos

Existem três fases do ciclo de crescimento do cabelo:

1. Anágena: fase de crescimento que dura entre dois e oito anos; nesta fase o cabelo cresce em torno de 1 cm por mês;

2. Catágena: fase de degradação é o período em torno de duas a quatro semanas, em que o folículo é quase totalmente degradado – ocorre a involução da raiz capilar com diminuição progressiva da produção do fio de cabelo;

3. Telógena: fase de repouso do fio de cabelo até sua queda, o que dura de dois a quatro meses. Em média, nesta fase, é normal cair de 50 a 150 fios de cabelos a cada dia.

No dia a dia, a perda normal de cabelo ocorre quando o próximo ciclo de crescimento ( fase anágena ) inicia e um novo fio de cabelo começa a emergir, expulsando o que estava em repouso no folículo. Estes cabelos serão substituídos por novos fios. Na fase telógena, em torno de 10 por cento dos folículos estão em repouso a qualquer momento.

Já no caso da realização de procedimentos cirúrgicos, é possível haver aumento da quantidade de fios de cabelo a entrar na fase telógena e provocar a sua queda temporária. Por isso, é necessário atenção à saúde do corpo no que se refere aos nutrientes essenciais ao bom funcionamento do organismo.

Nutrientes Importantes para o Fortalecimento dos Cabelos

Proteína: Importante para crescimento e regeneração de tecidos; 88% do cabelo é formado por proteínas.

Colágeno hidrolisado: encontra-se na estrutura de tecidos conjuntivos, cartilaginosos e fibrosos como cabelo, unhas, pele, osso, etc; síntese tem participação fundamental de vitamina C.

Vitamina C: sua deficiência pode levar à alopecia.

vitaminas e queda de cabelo

Zinco: fator de crescimento e desenvolvimento dos cabelos. Com deficiência: cabelos finos, quebradiços sem brilho e avermelhados. Também é fundamental para imunidade, função reprodutiva, cicatrização, manutenção da pele, formação e ação de hormônios, entre outros;

Ferro : fortemente relacionado à queda de cabelo, caso haja deficiência; envolvido com a divisão celular do bulbo (raiz);

Biotina: componente do Complexo B – desenvolvimento do folículo piloso; sua deficiência pode levar à alopecia difusa e despigmentação dos cabelos;

Vitamina B12: responsável pela ativação queratina, formação do caroteno ( responsável pelo crescimento, resistência e fortalecimento dos fios de cabelos e unhas ).Quedas de cabelos, agrisalhamento precoce, ressecamento cutâneo e fragilidade das unhas são algumas consequências da sua carência no organismo;

Selênio: mantém a integridade de cabelos e unhas; utilizado no tratamento de caspa e seborreia; é antioxidante. Sua deficiência causa perda de cabelos, unhas frágeis, clareamento dos cabelos, entre outros.

É Possível Tratar a Queda de Cabelo após Cirurgia?

Após realizar uma cirurgia invasiva, como é o caso da cirurgia plástica, primeiro deve-se investigar se a queda de cabelo foi motivada pela mesma. Uma forma bem simples é observar se há maior quantidade de fios de cabelo em travesseiros, no box do chuveiro, na escova, etc. Vale destacar, também, que isso acontece logo após a realização do procedimento e pode demorar até quatro meses para normalizar.  

Em casos específicos, segundo recomendação médica, o paciente poderá tomar remédios e suplementos que ajudarão a diminuir a inflamação no couro cabeludo ou a fornecer os nutrientes necessários para o crescimento do fio.

Por outro lado, manter uma alimentação saudável garantirá a saúde dos cabelos. A ingestão necessária de proteínas, vitaminas e minerais são componentes fundamentais no crescimento, estrutura e coloração dos cabelos. Alguns alimentos que devem ser incluídos na dieta para o cuidado com o cabelo são carnes, peixes, leite, iogurte, queijo, frutas cítricas ou nozes, por exemplo.

Queda de Cabelo Está Associada a Fatores Emocionais?

Além dos procedimentos cirúrgicos, sabe-se que os fatores emocionais interferem positiva ou negativamente em nosso organismo. Entre seus efeitos negativos está o eflúvio telógeno (queda de cabelo). Motivos como separações, mortes de entes queridos, acidentes, doenças, entre outros, influenciam a queda abrupta do cabelo. Por isso, uma das principais causas de queda de cabelo é o estresse do dia a dia.

Nos dois últimos anos, pesquisas observaram que a relação entre a infecção pelo coronavírus – Covid 19 – tem provocado tanto o estresse físico quanto o emocional. Resultado disso, é a queda generalizada do cabelo e a interrupção do crescimento do fio.

covid e queda de cabelo

Portanto, as cirurgias plásticas podem provocar a queda de cabelos, mas não são a sua única causa. A fim de garantir a saúde dos cabelos, em geral, é preciso alimentar-se de forma saudável, reservar um tempo para relaxar e exercitar-se em atividades que diminuam a tensão. Se necessário, o médico poderá prescrever suplementos ou medicações.

Categorias:

Veja as Novidades

Compartilhe nas redes:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter